Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Time pró-Democracia em Vertigem entra em campo

Equipe BR Político

Se na arenas das redes sociais, a segunda-feira, 3, foi o dia do “time bolsonarista” criticar a entrevista dada pela cineasta Petra Costa, diretora de Democracia em Vertigem, documentário brasileiro indicado ao Oscar, esta terça começou com os aliados da cineasta e opositores do governo Bolsonaro saindo em defesa do “criador e da criatura”. A hashtag #DemocraciaEmVertigem passou a ser usada principalmente depois de ir ao ar uma entrevista do apresentador Pedro Bial em que diz que deu “muita risada” ao assistir o documentário.

Cena do documentário Democracia em Vertigem, de Petra Cost

Cena do documentário Democracia em Vertigem, de Petra Costa Foto: Divulgação/Netflix

A ex-presidente Dilma Rousseff, personagem de Democracia em Vertigem, usou o Twitter para publicar uma sequência de mensagens em que critica Bial e afirma que o filme foi “vítima de intolerável agressão oficial do governo Bolsonaro”, após a divulgação de vídeo da Secom. “O insulto mais grave da Secom a Petra Costa foi acusá-la de militante antiBrasil no exterior. Isto é não só mentira, como também uma inversão absoluta da realidade. Não há em nosso país ninguém mais anti-Brasil e mais pernicioso à nossa imagem no exterior do que Bolsonaro”, escreveu Dilma.

O ex-candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) parabenizou Petra e afirmou que “fazia muito tempo que eu não via alguém incomodar tanto o establishment global”. O deputado Paulo Pimenta (PT) fez uma enquete entre seus seguidores em que pergunta: “quem é mais recalcado e invejoso diante do sucesso e da qualidade do Democracia em Vertigem?”. As opções de resposta são: Jair Bolsonaro, Pedro Bial, Sérgio Moro ou “outro”.