Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Trabalhadores ‘coagidos’ a orar de joelhos em ato pró-comércio em Campina Grande

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Sindicato dos Comerciários de Campina Grande e Região vai acionar nesta terça, 28, o Ministério Público do Trabalho contra a “coação” praticada por comerciantes do centro da cidade paraibana de trabalhadores que se ajoelharam em ato com louvores e orações realizado na segunda, 27, pela reabertura do comércio. Após a cena humilhante, a entidade diz ter recebido várias denúncias anônimas de trabalhadores sob ameaça de demissão.

“Sendo assim, repudiamos veementemente qualquer tentativa de coação aos trabalhadores e trabalhadoras, assim como qualquer pedido de retorno às atividades que desrespeitam as orientações dos organismos de Saúde e as medidas de prevenção e segurança no combate ao Covid-19 e que ponham em risco a saúde dos comerciários e de toda população campinense”, afirma o sindicato em nota.

De acordo com o diretor do sindicato, José do Nascimento Coelho, a ideia vexatória partiu especialmente do setor de calçados. Segundo ele, o município vai atender ao decreto estadual que estabelece o isolamento social até o dia 3 de maio. “Queriam abrir o comércio no dia 20”, contou ao BRP, após o vencimento do decreto municipal, no dia 13.

A Paraíba tem 633 casos confirmados de covid-19 e 53 mortes. Em Campina Grande, segundo a prefeitura, há 1 morto pela doença, 42 casos confirmados, 65 suspeitos e 11 casos recuperados. O município conta com 355 mil habitantes.