Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Trump recua em ameaça de atacar sítios culturais do Irã

Equipe BR Político

O presidente Donald Trump recuou da ideia de revidar a qualquer eventual resposta do governo iraniano com ataques a patrimônios culturais do Irã. O conflito entre as duas nações foi retomado após o republicano autorizar um ataque que matou o líder Qassim Suleimani, da Guarda Revolucionária, no Iraque – cujos tesouros arqueológicos foram parcialmente destruídos na guerra que os EUA, com apoio de países europeus, travaram contra o país de 2003 até 2011. O governo iraniano ameaça vingar a morte do militar de forma “proporcional e direta”. “Se isso é o que é a lei, gosto de obedecer a lei”, disse Trump nesta terça, 7, durante visita do premiê grego, Kyriakos Mitsotakis, informa o New York Times. Ataques a monumentos da antiguidade são crimes de guerra, segundo a Convenção de Haia, de 1954. A ONU declarou, em 2017, que “lançar ataques ilegais contra sítios e edificações dedicadas à religião, educação, arte, ciência ou fins beneficentes ou contra monumentos históricos pode, sob determinadas circunstâncias e conforme a lei internacional, constituir crime de guerra”.

Conheça os tesouros culturais do Irã neste especial que o Estadão preparou para você.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Donald TrumpQassim SuleimaniIra