Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

TSE: Carlos Bolsonaro empobreceu entre 2016 e 2020

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Candidato à reeleição, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) empobreceu entre 2016 e 2020. É o que mostra a declaração de bens feita pelo filho do presidente Jair Bolsonaro à Justiça Eleitoral para as eleições municipais de novembro. Nos últimos quatro anos, o “02” ficou R$ 17.145,87 mais pobre.

O vereador Carlos Bolsonaro

O vereador Carlos Bolsonaro Foto: Dida Sampaio/Estadão

Desde 2004, aos 22 anos, quando disputou a primeira eleição por uma cadeira na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, e não declarou nenhum bem, o patrimônio de Carlos vinha aumentando. Quatro anos mais tarde, quando foi eleito pela primeira vez, os bens do jovem Carlos somavam R$260 mil. Ele declarou ser dono de um carro (R$ 65 mil) e um apartamento (R$ 195 mil), comprado cinco anos antes, com dinheiro vivo, como revelou o Estadão.

Em 2012, quando Carlos tinha 30 anos, a quantidade de bens se multiplicou e o total declarado chegou a R$452.174. Um salto de R$ 156.631 no patrimônio do “02”. O maior aumento nos bens do filho do presidente ocorreu nos quatro anos seguintes. Na declaração feita para o pleito de 2016, Carlos informou um patrimônio de R$608.805,33, composto por sete itens, entre imóveis, veículos, poupança e dinheiro guardado em espécie. Entre 212 e 2016, o salto no patrimônio foi de R$ 192.174.

Neste ano, o número de itens declarados continua o mesmo de quatro anos atrás, sete, apesar de não serem os mesmos elementos. Carlos informou ter R$591.659 em bens.