Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Twitter tira do ar vídeo de campanha de Trump sobre protestos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Dez dias depois da primeira reação do Twitter contra “tuíte enganoso” do presidente Donald Trump, a rede tirou do ar nesta sexta, 5, um vídeo de tributo a George Floyd que faz parte da campanha eleitoral do republicano após receber reclamações relacionadas a direitos autorais. Com narração do próprio, o material inicialmente fala da tragédia que não devia ter ocorrido, do quanto Trump entende a dor das pessoas que foram protestar contra o asfixiamento do americano negro, do quanto o episódio chocou os EUA pelo horror e tristeza e do apoio que ele oferece aos participantes.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump Foto: Jonathan Ernst/Reuters

Na sequência, porém, Trump diz que o que está se vendo não tem nada a ver com justiça, mostrando imagens de saques de vários estabelecimentos comerciais. Ele diz que a memória de Floyd está sendo desonrada por anarquistas, vândalos e antifas, se colocando como “amigo” daqueles que buscam justiça e paz. Termina afirmando que o país não vai se render às hostilidades, posto que, segundo ele, todos têm direito a segurança, “um direito sagrado”.

A resposta agressiva de Trump aos protestos contra a violência policial causaram um efeito raro nos EUA: uma revolta de ex-generais contra o presidente, acusado de politizar as Forças Armadas ao ameaçar enviar tropas para esmagar as manifestações. Nesta semana, pelo menos quatro importantes líderes militares romperam o silêncio e criticaram Trump.

“Nós respondemos a reclamações válidas sobre direitos autorais enviadas para nós pelo detentor dos direitos e seus representantes”, disse um porta-voz do Twitter. As eleições presidenciais nos EUA estão previstas para novembro.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Donald TrumpTwittercampanha