Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Último servidor de base indígena da Funai deixa local após ataque a tiros

Equipe BR Político

O último servidor da Funai que protegia os índios isolados do Vale do Javari, no extremo oeste do Amazonas, deixou a base Ituí-Itacoaí na última quinta-feira, 21, após uma série de ataques com disparos de tiros à instalação. Os indígenas da região, portanto, estão sem proteção, e os demais funcionários da Funai se recusam a ir até o local por não terem proteção efetiva contra ataques de caçadores clandestinos, madeireiros e garimpeiros ilegais.

Por determinação da Justiça do Amazonas, os servidores do órgão de proteção deveriam ter recebido auxílio da União, mas, de acordo com informações do Globo, Polícia Federal , Exército e Força Nacional de Segurança não responderam aos ofícios enviados pelo Ministério Público Federal solicitando ajuda. O Ministério da Justiça afirmou que, a partir desta segunda-feira, 25, a Força Nacional e a Funai irão se reunir para tratarem do envio de pessoal à terra indígena do Vale do Javari, mas não especificou em que data tais tropas serão enviadas.

A base de proteção etnoambiental Ituí-Itacoaí é a principal instalação da Funai para garantir a segurança dos índios isolados que vivem no Vale do Javari. São chamados de índios isolados aqueles que ainda não tiveram contato com outras populações não-indígenas ou que, voluntariamente, decidiram viver sem contato com o mundo exterior. Por isso, eles são considerados extremamente vulneráveis a estrangeiros em suas terras até do ponto de vista imunológico, já que seus organismos não estão preparados para doenças que atingem populações não-indígenas.

 

Tudo o que sabemos sobre:

FunaiAmazôniapovos indígenas