Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Uneafro entra com ação contra Russomanno por racismo em publicação

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois de uma postagem do candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) em que chamou de “vandalismo” uma ação da prefeitura da capital paulista em homenagem ao Dia da Consciência Negra, a entidade que pertence ao movimento negro Uneafro Brasil entrou com uma representação criminal por racismo contra o candidato. Em nota, Russomanno afirmou que a representação é infundada e que se trataria de um “factoide”.

A ação mencionada pelo candidato colocou em semáforos imagens de punhos cerrados, símbolo da luta contra o racismo. Russomanno alegou que não tinha conhecimento de que o símbolo tinha relação com o dia da Consciência Negra e afirmou que sua interpretação era de que o ícone tinha relação com a esquerda e o comunismo.

Na representação, a entidade pede abertura de inquérito contra o candidato por racismo, além da retirada do ar da postagem em que ele se refere à ação de enfrentamento ao racismo como “ato de vandalismo”.

Em sabatina na Folha de S. Paulo, o candidato, ao tentar se defender, disse que não era racista, e que foi criado por uma “mãe de leite negra” e tinha amigos negros. “Eu não vou polarizar essa questão. Eu fui criado por uma mãe de leite negra. Não vejo diferença entre negros e brancos, tenho grande amigos negros e tive namorada, inclusive. A prefeitura é que não pode fazer uma campanha e não dizer a população o que é. Colocar punho cerrado nos semáfaros contraria a lei de trânsito. Vão responder por crime de improbidade”, disse.