Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Vacinas produzidas na Índia devem chegar em ‘meados de janeiro’, diz governo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Ministério das Relações Exteriores afirmou nesta terça-feira, 5, em nota conjunta com o Ministério da Saúde, que as negociações entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Serum da Índia, responsável pela produção da vacina Oxford/AstraZenca no país, para a importação pelo Brasil de 2 milhões de doses de imunizantes contra a covid-19 ‘encontram-se em estágio avançado’ e que a entrega do imunizante deve ocorrer em meados de janeiro.

“Governo brasileiro, por meio dos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores, esclarece que não há qualquer tipo de proibição oficial do Governo da Índia para exportação de doses de vacina contra o novo coronavírus produzidas por farmacêuticas indianas”, diz o texto.

No último domingo, 3, depois de o Brasil anunciar um acordo com o laboratório indiano para a compra das doses prontas do imunizante, o CEO do Instituto Serum da Índia, Adar Poonawalla, disse em entrevista à Associated Press que a exportação seria vetada até que toda a população indiana vulnerável ao coronavírus fosse vacinada. Nesta terça, no entanto, ele negou que haja restrições à exportação do imunizante.

Ainda de acordo com a nota conjunta, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, reuniu-se ontem com o embaixador da Índia no Brasil para tratar do assunto.