Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vai vetar quanto?

Vera Magalhães

A data-limite para que Jair Bolsonaro sancione, vete ou sancione com vetos a Lei de Abuso de Autoridade é o próximo dia 5, quinta-feira. O assunto ganhou relevância porque o presidente se divide entre o desejo de seu eleitorado por um veto integral ou quase isso e circunstâncias políticas e familiares que recomendam que ele seja bem mais parcimonioso nas tintas da caneta –Bic, Compactor ou de que marca for.

Escrevo sobre isso na minha coluna deste domingo no Estadão. Um veto muito extensivo pode ser derrubado pelo Congresso, que já fez um “esquenta” nesse sentido na semana que passou. Além disso, pode atrapalhar a boa vontade dos senadores com o filho Eduardo, cuja indicação para a Embaixada em Washington já não é bem vista. Por fim, a lei como facilita a proteção ao filho Flávio, pois mantém Judiciário, Ministério Público e órgãos de controle sujeitos, eles sim, a novos limites. Não à toa, o senador não assinou manifesto de seus pares pelo veto integral do pai à medida.