Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Valor apreendido em operação com ex-secretário de saúde do Rio é de R$ 8,5 mi

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro apreendeu cerca de R$ 8,5 milhões de supostos desvios na saúde do Estado no âmbito da operação Mercadores do Caos, na qual o ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos foi preso na sexta-feira, 10. Santos é apontado como chefe da organização que atuava na Secretaria Estadual de Saúde durante a pandemia da Covid-19.

De acordo com o Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção, cerca de R$ 7 milhões estavam em reais e o restante em dólares americanos, euros e libras esterlinas. Neste sábado foi esclarecido que o dinheiro foi entregue espontaneamente, mas o MP-RJ não informou se por Santos ou outro investigado.

Edmar Santos foi exonerado em maio, em meio às denúncias de fraudes, e nomeado logo depois pelo governador do Rio, Wilson Witzel, à Secretaria Extraordinária de Acompanhamento das Ações Governamentais Integradas da Covid-19, criada na ocasião da nomeação. O movimento foi entendido pelo Ministério Público como uma tentativa de Witzel de blindar Santos, que permaneceria com foro privilegiado com o cargo no primeiro escalão do governo. A manobra foi impedida por decisão da 6ª Vara de Fazenda Pública do Rio, em ação popular proposta pelo deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ).