Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vaza Jato: Diálogos citam ‘encontros fortuitos’ entre Deltan e Gebran

Equipe BR Político

Novas mensagens dos supostos diálogos vazados pelo site The Intercept Brasil em parceria com a revista Veja indicam que o procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, conversou fora dos autos com o desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF-4, órgão encarregado de julgar em segunda instância os processos da Lava Jato. Nas conversas reveladas nesta sexta-feira, 12, Dallagnol comenta com outros colegas do Ministério Público que falou com Gebran “mas duas vezes, em encontros fortuitos”.

Em outro trecho dos diálogos, Dallagnol diz que “o Gebran tá fazendo o voto e acha provas de autoria fracas em relação ao Assad”. O procurador se refere ao processo contra Adir Assad, um dos operadores de propinas da Petrobrás e de governos estaduais, preso pela primeira vez em março de 2015. Às vésperas do julgamento da apelação de Assad, Dallagnol mostra-se preocupado com a possibilidade de o desembargador absolver Assad e aciona o procurador Carlos Augusto da Silva Cazarré, da força-tarefa de Porto Alegre, onde fica o TRF-4. “Cazarré, tem como sondar se absolverão Assad? (…) se for esse o caso, talvez fosse melhor pedir pra adiar agilizar o acordo ao máximo para garantir a manutenção da condenação…”, escreve Dallagnol. “Olha Quando falei com ele, há uns 2 meses, não achei q fisse (sic) absolver… Acho difícil adiar”, responde Cazarré. Na sequência, Dallagnol volta a citar Gebran: “Falei com ele umas duas vezes, em encontros fortuitos, e ele mostrou preocupação em relação à prova de autoria sobre Assad…”. Dallagnol termina pedindo ao colega que não comente com Gebran o episódio do encontro fortuito “para evitar ruído”.

Tudo o que sabemos sobre:

Vaza JatoDeltan DallagnolTRF-4gebran neto