Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vaza Jato: Moro omitiu palestra remunerada, diz jornal

Equipe BR Político

De acordo com reportagem da Folha em parceria com o site The Intercept Brasil publicada neste domingo, 4, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, omitiu uma palestra remunerada que deu em setembro de 2016, na cidade de Novo Hamburgo (RS), ao prestar contas de suas atividades quando era o juiz da Operação Lava Jato. O valor recebido, um cachê entre R$ 10 mil e R$ 15 mil, de acordo com uma pessoa que participou da organização do evento, deveria ter sido declarado ao TRF-4. Juízes de todas as instâncias devem prestar informações sobre palestras e outros eventos que podem ser classificados como “atividades docentes” pelas normas aplicadas à magistratura. No ano de 2016, o ex-juiz declarou ter participado de 16 eventos externos, incluindo 9 palestras, 3 homenagens e 2 audiências no Congresso Nacional. A relação de eventos não inclui a participação neste evento no Rio Grande do Sul.

A palestra foi mencionada numa suposta mensagem enviada via Telegram por Moro ao procurador Deltan Dallagnol em 2017, e faz parte do pacote obtido pelo site The Intercept Brasil. No dia 22 de de maio de 2017, Moro disse a Deltan que um executivo do grupo de comunicação Sinos queria seu contato para fazer um convite. “Ano passado dei uma palestra lá para eles, bem organizada e bem paga”, escreveu o juiz. “Passa sim!”, respondeu Deltan, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. De acordo com o TRF-4, o salário pago a Moro como juiz foi de R$ 28,4 mil em setembro de 2016, já descontados os impostos. Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, Moro não declarou nenhuma remuneração pelas palestras que informou ao TRF-4 em 2016. “Estão todas sem constar valor recebido, entendendo-se como gratuitas”, justificou a assessoria. Em resposta a questionamentos da Folha, Moro afirmou que a omissão da palestra em suas prestações de contas pode ter ocorrido por “puro lapso” e disse que parte do cachê recebido foi doada a uma entidade beneficente.

Tudo o que sabemos sobre:

sergio moropalestraomitiuremunerada