Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vaza Jato: Procuradores pediam dados da Receita de maneira ‘informal’

Equipe BR Político

Novas mensagens supostamente vazadas dos celulares de procuradores mostram que membros da força-tarefa da Lava Jato tentaram contornar os limites legais para obter de forma informal dados da Receita Federal. Reportagem publicada pela Folha neste domingo mostra mensagens nas quais os procuradores afirmam ter procurado o auditor fiscal Roberto Leonel, que na época era o responsável pela área de inteligência da Receita em Curitiba e que posteriormente foi nomeado como presidente do Coaf. O expediente foi utilizado, por exemplo, nas investigações sobre o Sítio de Atibaia. A força-tarefa teria pedido para Leonel informações sobre uma nora de Lula, o caseiro do sítio, o patrimônio dos seus antigos donos e compras que a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva teria feito.

“Vocês checaram o IR de Maradona? Não me surpreenderia se ele fosse funcionário fantasma de algum órgão público (comissionado). Pede pro Roberto Leonel dar uma olhada informal”, teria dito o procurador Deltan Dallagnol em 15 de fevereiro de 2016. Em setembro do mesmo ano, o procurador Athayde Ribeiro Costa avisou aos colegas que pediu para Leonel averiguar se seguranças de Lula teriam adquirido um fogão e uma geladeira para o tríplex do Guarujá. Com as mensagens não é possível saber se Leonel atendeu aos pedidos.

Tudo o que sabemos sobre:

Vaza JatoLava Jato