Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Veja opiniões de Regina Duarte sobre temas da cultura

Equipe BR Político

A atriz Regina Duarte é a nova secretária Especial da Cultura. Já que é artista, o que será que Regina pensa sobre assuntos importantes para a pasta, como Lei Rouanet, corte de gastos e censura? O BRP preparou uma lista com as principais opiniões da secretária sobre os temas.

  • Marxismo cultural

A polêmica mais recente da secretaria se deu quando, em seu Instagram, a atriz publicou um vídeo em que ex-BBB Adrilles Jorge critica o chamado “marxismo cultural”. A guerra contra o chamado marxismo cultural é uma das principais agendas do presidente Jair Bolsonaro e de ministros, como o chanceler Ernesto Araújo. No vídeo, Regina endossa a tese.

  • Censura às artes

Em 27 de outubro de 2018, a atriz, apoiadora de Jair Bolsonaro, publicou uma série de três vídeos sobre a reta final da eleição. No segundo vídeo da sequência, Regina fala o que espera da gestão Bolsonaro em relação à liberdade. 

“O que eu espero do novo governo: liberdade de expressão. Outra coisa que eu espero do governo: censura nunca mais. A arte tem que ser livre. (…) Não se pode deixar tudo na mão do governo.”

No começo de janeiro, o  desembargador Benedicto Abicair, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou a censura ao episódio de Natal do Porta dos Fundos na plataforma Netflix. O pedido da liminar dizia que “por todo o exposto, se me aparenta, portanto, mais adequado e benéfico, não só para a comunidade cristã, mas para toda a sociedade brasileira majoritariamente cristã (tirar o especial do ar).”

O amigo pessoal de Regina, o ator Carlos Vereza, publicou um vídeo dizendo que o que ocorreu com o filme foi “uma lei do retorno”. Carregado de valores cristãos, como os já declarado pela atriz, e julgamentos morais, o vídeo foi postado no Instagram da artista com o seguinte título: “Carlos Vereza detona, destrói, acaba com o ‘Porta dos Fundos'”.

 

  • Lei Rouanet

Em entrevista ao programa Conversa com Bial em maio de 2019, Regina usou uma “cola” para falar sobre um novo funcionamento da Lei Rouanet. Em sua fala, a atriz critica o modo como ela é usada atualmente. “Eu acho que o governo que usa o dinheiro da população deveria apoiar os que estão iniciando na arte. (…) Eu sou a favor de que o Estado não patrocine Cultura nos moldes atuais.”

Além de exigir transparência com o dinheiro público, Regina pede uma prestação de contas rigorosa. “Que que eu acho da Lei Rouanet? Tem uma história de que os artistas mamam nas tetas do governo… Será que é pedir muito rigor na prestação de contas?”

Uma controvérsia se dá pelo fato de que a artista, atriz há mais de 50 anos, ser devedora da lei. Sua empresa A Vida é Sonho Produções Artísticas deve R$ 319,6 mil por irregularidades com a Lei Rouanet.

  • Cortes de verba na Cultura

Como publicado pelo BRP Fique de Olho desta semana, Regina terá que lidar com um orçamento reduzido da pasta. Segundo informado pelo Ministério da Cidadania, pasta que comanda a secretaria, em 2019 o orçamento foi de R$ 2,6 bilhões.

Bolsonaro transferiu em novembro de 2019 a Secretaria Especial da Cultura para o Ministério do Turismo. Porém até publicação do decreto final de transferência da Secretaria Especial da Cultura para o Turismo, seu orçamento segue com a pasta da Cidadania, que declarou que a verba disponível em 2020 será de R$ 2 bilhões, uma redução de 23,8%.

Por mais que o corte impacte diversas entidades vinculadas à Secretaria, a atriz já declarou ser a favor do corte de gastos. Em entrevista ao site Notícias da TV, Regina disse achar necessário esse “aperto de cinto” nas contas públicas. “O momento agora é de sanar o problema, controlar os gastos. Quem não entender está sendo muito egoísta nas suas ambições.”

Na mesma entrevista, dada em setembro de 2019, a artista foi questionada sobre sua proximidade com Bolsonaro. “Prefiro ficar, mesmo de longe, torcendo por ele. A distância me deixa mais livre para observar, comentar e atuar da maneira que eu posso e quero.”