Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vetos de Bolsonaro ao marco do saneamento com dias contados

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Os vetos do presidente Jair Bolsonaro ao marco legal do saneamento devem ter vida curta. Senadores de diversas frentes já se mobilizam para que caia o veto que impede que até 2022 as concessões de estatais sejam renovadas.  O próprio presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), avisou que exigirá que o governo honre o acordo construído para a aprovação da PEC.

“Não pode fazer o entendimento e não cumprir o entendimento. O que é combinado não é caro nem barato. ão pode fazer o entendimento e não cumprir o entendimento. O que é combinado não é caro nem barato”, disse durante sessão do Senado. O dispositivo em questão foi um dos pontos acordados entre parlamentares e governadores para que o projeto fosse aprovado.

Alcolumbre foi seguido por outros senadores, que manifestarem “surpresa” com a decisão do presidente de vetar um ponto acordado do projeto. Por exemplo, Tasso Jereissati (PSDB-CE) chamou a decisão de “tiro no próprio pé” do governo. O líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), por sua vez, prometeu “abrir diálogo” sobre os vetos definidos por Bolsonaro.