Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Vice de Covas aparece para se defender de acusações

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O vice na chapa do prefeito Bruno Covas (PSDB) à Prefeitura de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), que permanecia fora dos holofotes na campanha, decidiu desde a noite da quarta-feira, 25, aparecer para rebater acusações que vem sofrendo sobre seu envolvimento na “máfia das creches” e sobre um boletim de ocorrência por violência doméstica contra sua mulher. 

Nunes tem publicado vídeos em que ele próprio e outros políticos falam sobre sua conduta e seu histórico de atuação. Um deles mostra o próprio vereador na televisão afirmando que não tem “nenhum processo” contra ele. Nesta quinta, ele e a mulher concederam entrevista ao Estadão negando as ameaças e violência doméstica que constam no B.O. que ela própria registrou contra o marido em 2011. Na entrevista, Regina Nunes diz não lembrar de ter registrado o documento, cuja existência foi confirmada por diferentes veículos. 

A campanha de Covas vinha sendo questionada sobre as suspeitas contra Nunes e o prefeito era acusado pelo adversário Guilherme Boulos (PSOL) de esconder seu vice por conta da polêmica. Covas vem defendendo o vereador e dizendo que “coloca a mão no fogo por ele”. A campanha tucana investiu em anúncios do Google que, em buscas pelo nome de Nunes, direcionam a uma página intitulada “Saiba quem é Ricardo Nunes – O vice de Bruno Covas” que destaca pontos positivos da trajetória política do vereador.

Em um dos vídeos, o ex-deputado federal tucano Floriano Pesaro destaca que trabalhou com Nunes como vereador em São Paulo e faz elogios a ele. “É um dos homens mais gentis e por que não dizer fidalgos que conheci na minha vida pública e política”, diz.

Além da violência doméstica, Nunes é citado em uma investigação na Promotoria do Patrimônio Público e Social que apura indícios de superfaturamento no aluguel de creches conveniadas. Uma empresa da família do emedebista recebeu dinheiro das creches pela prefeitura sem licitação.