Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vice não acredita que Orçamento será votado neste ano

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Na avaliação do vice-presidente Hamilton Mourão, o Orçamento de 2021 pode não ser votado até o fim de 2020. Isso, segundo ele, afetaria as avaliações de agências de rating – que classificam o risco de crédito – em relação ao Brasil. O comentário foi feito na manhã desta segunda-feira, 9, durante live do Itaú, quando o vice comentava sobre a possibilidade de criação de um novo programa de renda mínima.

O vice-presidente, Hamilton Mourão

O vice-presidente, Hamilton Mourão Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

“O Congresso até agora não conseguiu se reunir e colocar em pé a Comissão Mista de Orçamento (CMO). Tudo indica que nós não vamos votar o Orçamento esse ano, o que será um problema. Provavelmente vai levar a uma queda da nossa avaliação pelas agências de rating”, disse.

Mourão disse ainda que Orçamento pode ser liberado apenas em abril de 2021. “Vamos ter o Orçamento só lá para abril do ano que vem. Ou seja, vamos ficar três, quatro meses, só podendo ficar gastando 1/18 avos daquilo que está previsto, planejado para o Orçamento”, destacou.

A disputa na CMO, que tem travado sua instalação, tem como pano de fundo a sucessão do comando da Câmara em 2021. A presidência da comissão é disputada pelo deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), aliado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e pela deputada Flávia Arruda (PL-DF), do grupo do Centrão.

Caso a CMO não vote Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) neste ano, o governo ficará sem autorização para realizar gastos em 2021, entrando em “shutdown”. O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP) já admitiu, contudo, a possibilidade de levar a LDO para a votação diretamente para plenário, sem passar pela comissão.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Hamilton MourãoOrçamento2021