Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Vice-presidente do Aliança foi denunciado por pagar propina

Equipe BR Político

O advogado Luís Felipe Belmonte, segundo vice-presidente do Aliança Pelo Brasil, partido ainda não formalizado do presidente Jair Bolsonaro, foi denunciado em 2017 pelo Ministério Público Federal sob acusação de pagar propina a um ex-desembargador que atuou no Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, em Rondônia, informa O Globo. Segundo os investigadores, Belmonte ficou com R$ 11 milhões de R$ 107 milhões de um precatório pago pela União a um sindicato que ele representava na justiça em um processo trabalhista. Já o então desembargador vendeu um imóvel a um laranja de Belmonte por R$ 1,2 milhão, dos quais R$ 800 mil eram sua recompensa pelo ganho da causa trabalhista. Na sequência, o advogado se tornou sócio da empresa que comprou o imóvel, diz a publicação.

Ao Globo, a defesa de Belmonte afirmou que tem um laudo da Polícia Federal avaliando o valor do terreno do imóvel em R$ 951 mil, que o desembargador tomava decisões contrárias a seus interesses e que a compra do apartamento só ocorreu um ano após a decisão. “Quem fala que o valor da casa é aquele não sou eu, é a Polícia Federal. Eu acho muito desagradável pessoas como eu, que estava morando na Inglaterra e voltei para ajudar o país, ficar sendo alvo de pedrada”, lamentou.