Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Voltam as ameaças de abandono do Mercosul

Equipe BR Político

Diante da vitória da chapa de Alberto Fernández e da ex-presidente Cristina Kirchner na Argentina, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, voltou a dizer que o governo brasileiro está se preparando para “diferentes cenários”, que incluem uma possível saída do Mercosul. De acordo com o chanceler, esta não é a primeira opção do governo, mas “aparentemente há na Argentina uma visão profunda que vai contra os postulados básicos do Mercosul”. A dupla tome posse no dia 10 de dezembro.

Em entrevista ao Valor, o chanceler afirmou que o Mercosul, depois do acordo histórico com a UE, tentará chegar a um acordo comercial com Canadá e Cingapura no ano que vem. O Japão também teria interesse em aumentar o diálogo para identificar possíveis oportunidades com o bloco sul-americano. “Uma eventual – eventual, possível ou provável – retração da Argentina não nos afetará. O Brasil irá em frente individualmente, vamos explorar as flexibilidades.”

As ameaças de ruptura com o bloco ocorrem desde antes Bolsonaro assumir o cargo. Em outubro de 2018, o ministro Paulo Guedes afirmara que o Mercosul não seria “prioridade” para o Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:

MercosulArgentina