Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Votação do Fundo Soberano vira aula sobre fim de governo

Marcelo de Moraes

Coisas que acontecem no fim de um governo sem perspectivas de poder. Poucos meses atrás, havia acordo entre governo e sua base de apoio para extinguir o Fundo Soberano e usar seus recursos para abater um pouco da Dívida Pública Federal (DPF). E bota pouco nisso. Em dezembro, a DPF era de R$ 3,5 trilhões e o Fundo tinha apenas R$ 26,3 bilhões. Isso não dá 1% da DPF. Ou seja, não faria muita diferença, mas o governo achava que o Fundo já não tinha mais razão de existir e qualquer dinheiro que entrasse era bem vindo.

Assim, o governo editou medida provisória acabando com o Fundo e o deputado Mendonça Filho produziu relatório decretando seu fim. Hoje, porém, como a MP estava travando a pauta e o governo tinha interesse na votação de outras propostas, como a que concede subsídio para reduzir o preço do diesel e a que abre as empresas aéreas para o capital estrangeiro, tudo mudou. Com aval do governo, a Câmara derrubou o parecer de Mendonça e rejeitou a extinção do Fundo. /Marcelo de Moraes

Tudo o que sabemos sobre:

Fundo soberanoCongresso