Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Weintraub recorre ao artifício: ‘Tentam deturpar minha fala’

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, alegou neste domingo, 24, que sua fala durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, que veio a público na última sexta, 21, após determinação do ministro Celso de Mello, do STF, dizendo que, por ele, “botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, foi deturpada.

“Tentam deturpar minha fala para desestabilizar a Nação. Não ataquei leis, instituições ou a honra de seus ocupantes. Manifestei minha indignação, LIBERDADE democrática, em ambiente fechado, sobre indivíduos. Alguns, não todos, são responsáveis pelo nosso sofrimento, nós cidadãos”, escreveu Weintraub no Twitter. Como você leu aqui mais cedo no BRP, o decano da Suprema Corte avaliou que “além do seu destacado grau de incivilidade e de inaceitável grosseria, que tal afirmação configuraria possível delito contra a honra (como o crime de injúria)”.

  • O que Weintraub disse:

“Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF. E é isso que me choca. Era só isso presidente, eu … eu … realmente acho que toda essa discussão de “vamos fazer isso”, “vamos fazer aquilo”, ouvi muitos ministros que vi … chegaram, foram embora. Eu percebo que tem muita gente com agenda própria. Eu percebo que tem, assim, tem o jogo que é jogado aqui, mas eu não vim pra jogar o jogo. Eu vim aqui pra lutar. E eu luto e me ferro. Eu tô com um monte de processo aqui no comitê de ética da presidência. Eu sou o único que levou processo aqui. Isso é um absurdo o que tá acontecendo aqui no Brasil. A gente tá conversando com quem a gente tinha que lutar. A gente não tá sendo duro o bastante contra os privilégios, com o tamanho do Estado e é o … eu realmente tô aqui de peito aberto, como cês sabem disso, levo tiro … odeia … odeio o partido comunista (TARJA PRETA).”