Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Weintraub reitera que não haverá mensalidade em federais

Equipe BR Político

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, reafirmou nesta terça-feira, 30, que é contra cobrar mensalidades para alunos, mesmo que de alto poder aquisitivo, em universidades públicas federais. A medida, segundo ele, teria poucos resultados práticos. “Em média, apenas 10% dos alunos das federais teriam condições de arcar com essa mensalidade”, afirmou, de acordo com o Broadcast Político. Para ele, a solução seria dar mais autonomia às federais e aos alunos, como forma de economizar recursos públicos. “Se a graduação de um aluno de uma federal é de, em média, R$ 450 mil para o pagador de imposto, por que não chegamos para esse aluno e dizemos que daremos a ele R$ 300 mil para se formar onde ele quiser?”.

Sobre a educação básica, Weintraub afirmou que o Fundeb passará a distribuir recursos com base em resultados, e não somente com base em dados socioeconômicos das regiões da Federação. “Só Estado pobre recebe os recursos, o que é uma distorção, porque você tem cidades ricas em Estados pobres recebendo dinheiro e, em contrapartida, municípios pobres em Estados considerados ricos, como o Rio Grande do Sul, sem receber nada”. O ministro também informou que, em breve, o MEC anunciará o programa “Mestre Artesão”, focado em treinamento de aprendizes, porém não deu detalhes sobre o projeto.

Tudo o que sabemos sobre:

MECAbraham Weintraubuniversidades federais