Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Wellington Dias alerta: ‘Vamos ter colapso em todos Estados e municípios’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), fez um alerta nesta quinta, 9, sobre o risco de colapso em todos os Estados e municípios do País nesta pandemia do coronavírus caso o governo federal não saia em socorro financeiro dos entes federativos de forma efetiva. Dias disse que seu alerta não é alarmismo, mas “um governador desesperado” por várias razões, quais sejam: previsão de queda da receita dos Estados entre 40% e 50%, aumento da despesa na casa dos 30%, resistência do governo federal em compensar perdas de ICMS, atraso na chegada de recursos federais, incluindo emendas, e confisco de material hospitalar.

“Vamos ter um colapso em todos os Estados e municípios. Não tem nenhum, todos eles vão entrar em colapso. Os Estados não aguentam custeio, pagar funcionário, pagar salário. O governo quer o caos. É isso que ele quer, vai ter convulsão social. Demorei muito a entender isso. Há estratégia de levar o país ao caos”, avaliou o governador. Dias deu como exemplo o custo dos 50 mil exames a R$ 6 milhões. “O Piauí precisa de 500 mil exames. Precisa comprar equipamentos de proteção individual, que custam R$ 50 milhões”, bem como contratar pessoal para os setores da saúde e segurança. “Os municípios estão recebendo R$ 2 por habitante. Um de 20 mil habitantes aqui recebeu R$ 40 mil para o coronavírus”, registrou.

Segundo o governador, a gestão Bolsonaro não quer compensar os Estados diante da queda no recolhimento do ICMS por questões políticas. “Ele não quer dar compensação para Rio e São Paulo por causa da briga política. É o que está em jogo a essa altura”, disse ele em live do PT realizada nesta manhã.

O projeto emergencial de socorro aos Estados que está em discussão na Câmara dos Deputados autoriza os Estados a aumentarem em 10% o estoque de suas dívidas, o que significa ampliá-las em até R$ 65 bilhões, informa o Estadão. Além de suspender o pagamento de parcelas de dívidas com a União e bancos, o projeto permite aos governadores tomarem crédito novo no limite de até 8% de suas receitas. O governador do Piauí defende essa compensação, já que “a maior parte das despesas dos Estados é (paga) com o ICMS”.

O governador do Piauí, Wellington Dias

O governador do Piauí, Wellington Dias