Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Witzel deve falar ainda hoje sobre caso Ágatha

Equipe BR Político

Manifestações sobre a morte da menina Ágatha Félix, de 8 anos, vieram de políticos das mais diversas matizes. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), no entanto, ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto. Nesta segunda-feira, 23, três dias após a menina ter sido baleada, ele convocou uma coletiva de imprensa para as 14h.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). Foto: Wilton Júnior/Estadão

A política de segurança pública de Witzel, que já falou que o correto é a polícia “mirar na cabecinha e… fogo”, vem sendo fortemente criticada por diversos setores da sociedade. Sob o governo dele, o Rio bateu recorde no número de mortes por intervenção de agentes do Estado, ou seja, de mortos pela polícia: foram 1.075 de janeiro a julho deste ano, um aumento de 20% em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o Broadacst Político. O único pronunciamento institucional sobre o assunto foi feito no perfil oficial do governo, que soltou no domingo uma nota em que lamentava a morte de Ágatha, “assim como a de todas as vítimas inocentes.”

Na coletiva,  o governador será acompanhado no Palácio Guanabara pelos secretários de Governo e Relações Institucionais, Cleiton Rodrigues, de Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga, de Polícia Militar, coronel Rogério Figueiredo, e de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência, major Fabiana Silva de Souza.

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson WitzelRio de JaneiroCaso Ágatha