Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Witzel convida Bolsonaro para assistir a carnaval no seu camarote

Equipe BR Político

Depois de meses trocando farpas com o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), convidou o presidente para assistir aos desfiles de carnaval no seu camarote no Sambódromo do Rio. 

Segundo o Globo, Witzel fez o convite por WhatsApp, ao fim de uma entrevista concedida ao jornal na quarta-feira, 19, depois de responder a pergunta sobre quais políticos haviam sido convidados ao espaço cedido ao governo estadual na Sapucaí. O governador afirmou que convidou todos os deputados estaduais, federais, senadores e prefeitos fluminenses e que Bolsonaro também era bem-vindo. “Também vamos dançar ao som de samba”, afirmou, aludindo ao episódio em que o presidente dançou com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o presidente Jair Bolsonaro

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Wilton Júnior/Estadão

O governador do Rio e Bolsonaro têm tido um mal-estar em sua relação desde agosto de 2019, quando Witzel manifestou o desejo de ser candidato à Presidência e “de preferência sucedendo o presidente Bolsonaro” em entrevista ao canal do Youtube Na Lata, apresentado por Antônia Fontenelle. Ele não deixou claro se se referia à eleição de 2022, quando Bolsonaro pretende tentar uma reeleição, mas a afirmação já foi suficiente para despertar no presidente teorias de que Witzel estaria conspirando contra ele. O mesmo ocorreu com o governador de São Paulo, João Doria, que também acenou no ano passado a uma candidatura própria à Presidência da República em 2022.

Em dezembro, quando as investigações envolvendo o ex-assessor Fabrício Queiroz por suposto esquema de rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro na Alerj foram retomadas, Bolsonaro acusou Witzel de uma “armação” contra ele e sua família. Na ocasião, o Ministério Público do Rio de Janeiro realizou buscas em endereços de Flávio. 

O episódio em que Witzel divulgou uma conversa com o vice-presidente Hamilton Mourão enquanto Bolsonaro estava em viagem oficial, chamando Mourão de presidente colocou ainda mais lenha na fogueira entra os antigos aliados. Agora, no entanto, Witzel parece estar disposto a deixar tudo terminar em samba.