Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Witzel liga afastamento a processo de escolha de procurador-geral do MP-RJ

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Afastado do governo do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) associou a decisão ao processo de escolha de quem será o próximo procurador-geral do Estado. Citando artigo publicado por Celso Rocha de Barros, na Folha, com o título “O presidente derrubou um governador?”, é que se refere ao assunto, Witzel afirma que o movimento pelo controle do comando do Ministério Público local teria pesado no seu afastamento.

“Como alertei em meu pronunciamento, na sexta-feira, após decisão monocrática do STJ para me afastar: os motivos criados para me derrubar vão além de tirar um desafeto do poder; no fim do ano caberia a mim a escolha do novo procurador-geral do MP-RJ”, escreveu Witzel em seu Twitter, ligando o movimento ao suposto interesse de Jair Bolsonaro em influenciar no escolhido para o posto. “Sigo trabalhando em minha defesa para provar minha inocência”, disse ainda.