Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Witzel sobre impeachment: ‘Nem mesmo Jesus Cristo teve julgamento justo’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois que o tribunal misto que avalia o processo de impeachment do governador afastado do Rio de Janeiro aprovou, por unanimidade, a continuidade do processo contra Wilson Witzel (PSC), o mandatário responsabilizou a “esquerda e bolsonaristas extremistas” pelo que chamou de processo político para o desgastar nesta quinta-feira, 5. O governador afirmou que é acusado “sem provas” e sugeriu que o julgamento tenha sido injusto: “Nem mesmo Jesus Cristo teve um julgamento justo, mas cumpriu seu propósito”, disse.

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel

O governador afastado do Rio de Janeiro Wilson Witzel Foto: Wilton Júnior/Estadão

O envolvimento de Witzel em um esquema que está sendo investigado de desvio de verbas e superfaturamento de compras emergenciais para o enfrentamento da pandemia foi o que motivou o pedido do impeachment na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O governador acusou os parlamentares de tratarem deputados denunciados com “rigor político” diferente do destinado. “Dois pesos e duas medidas”, afirmou.

“Enfrento mais este capítulo com a consciência tranquila. Trata-se de um processo político para me desgastar, especialmente pela esquerda e por bolsonaristas extremistas, mas tenho confiança de que deputados e desembargadores farão um julgamento justo para o bem da democracia”, escreveu o governador nas redes sociais. “Venho sendo acusado, sem provas, a partir de uma denúncia frágil feita por criminosos confessos. Minha missão para com a população fluminense me dá força, coragem e fé para enfrentar o linchamento moral e político ao qual estou sendo submetido.”

“Nem mesmo Jesus Cristo teve um julgamento justo, mas cumpriu seu propósito. Não tenho dúvida de que a verdade prevalecerá. Infelizmente, a política tem usado o processo penal e o impeachment para afastar aqueles que não conseguem derrotar nas urnas”, escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson WitzelimpeachmentRio de Janeiro