Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Wyllys não se arrepende de cusparada em Bolsonaro

Equipe BR Político

Autoexilado na Europa desde que desistiu de assumir o terceiro mandato como deputado federal, Jean Wyllys (PSOL-RJ), disse não se arrepender de ter cuspido no então deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara, em 2016. “Não me arrependo de nada, tenho orgulho e tem uma explicação para isso. Vivíamos um momento tenso no País, antes de mim, por ordem alfabética, votou Jair Bolsonaro e ele elogiou um torturador. Para completar, eu proferi meu voto e quando voltei ele disse ‘queima rosca’, como se fosse um garoto. Olhei e vi que era ele, aí fui tomado por um transe, aquela figura me enojava tanto, que foi a reação que eu tive. Eu jamais cuspiria na cara de uma pessoa em condições normais, mas era um acúmulo de xingamentos, de anos de assédio moral, de violência contra mim, de tudo. Naquele dia, foi demais e eu explodi”, afirmou Wyllys. ​

Em entrevista ao programa Conversa com Bial, Wyllys disse que o presidente Bolsonaro nunca o tratou como um adversário político, mas como inimigo. “Uma das razões de eu ter deixado o mandato foi que eu teria 4 anos de um mandato reativo, não seria propositivo”, afirmou. “O presidente nunca me tratou como adversário, me tratou como inimigo”, completou.