Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

XP/Ipespe: Cai vantagem de Russomanno sobre Covas, mas empate permanece

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Com pouco mais de dez dias de propaganda eleitoral no rádio e na TV, em que tem mais tempo de exibição do que os adversários, o candidato à reeleição na Prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), diminuiu a desvantagem que tinha do principal rival, o candidato do Republicanos, Celso Russomanno, e reduziu a taxa de rejeição. Pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta quinta-feira, 22, mostra que em cenário estimulado, Russomanno continua numericamente à frente, com 27% das intenções de voto, mas está empatado dentro da margem de erro da pesquisa – que é de 3,5 pontos porcentuais para mais ou para menos – com Covas, que tem 25%.

Bruno Covas e Celso Russomanno. Fotos: Tiago Queiroz/Estadão e Jailson Sam/Câmara dos Deputados

Em comparação ao levantamento divulgado pela XP/Ipespe na semana passada, o tucano subiu dois pontos porcentuais, enquanto o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro oscilou negativamente um ponto.

Em relação à rejeição, entre uma semana e outra, o porcentual de eleitores que disseram que não votariam no atual prefeito “de jeito nenhum” passou de 45% para 41%. Já a rejeição de Russomanno foi de 47% para 51% no mesmo período.

Na sequência aparecem Guilherme Boulos (PSOL), com 12%; o ex-governador Márcio França (PSB), com 8%; e Jilmar Tatto (PT), com 4%. Arthur do Val (Patriota), Andrea Matarazzo (PSD) e Joice Hasselmann (PSL) têm 2%; Marina Helou (Rede), Orlando Silva (PCdoB) e Levy Fidelix (PRTB) estão com 1%. Os outros candidatos não foram citados.

Brancos e nulos somaram 12%. Aqueles que não sabem ou não responderam equivalem a 5%.

A XP/Ipespe ouviu 800 eleitores paulistanos, por telefone, entre os dias 19 e 20 de outubro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número: SP-03538/2020.