Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

XP/Ipespe sobre Amazônia: 44% discordam das ações do governo

Equipe BR Político

O governo pode até tentar desconversar e questionar os dados sobre a crise ambiental, mas, de acordo com a pesquisa Ipespe/XP Investimentos, a maioria da população não está satisfeita com a atuação do Planalto no que diz respeito à Amazônia. O levantamento mostrou que 44% dos entrevistados consideram as medidas do governo para combater as queimadas na região como ruins ou péssimas, ante 26% que as consideram ótimas ou boas.

Árvores queimam em incêndio em Antônio do Matupi, na região da Amazônia

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Além disso, a esmagadora maioria (70%) acredita que o Brasil deveria aceitar a ajuda financeira oferecida pelos países do G-7 para combater os focos de incêndio na região. O presidente Jair Bolsonaro ainda não aceitou oficialmente o dinheiro e exige, antes, uma retratação do presidente francês, Emmanuel Macron, que criticou Bolsonaro publicamente por sua política ambiental. No entanto, 62% da população também acredita que os recursos das nações europeias escondem interesses políticos e econômicos que podem ameaçar a soberania nacional.

A população também não engole muito as insinuações de Bolsonaro de que ONGs seriam responsáveis pelas queimadas na Amazônia: 39% dos entrevistados culpam fazendeiros e posseiros pelos incêndios. Outros 21% culpam fatores climáticos, e 20% culpam o próprio governo Bolsonaro. Apenas 13% dos participantes acreditam que ONGs estão envolvidas nas queimadas.