Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Yanomamis denunciam garimpo ilegal e risco de massacre

Equipe BR Político

Lideranças indígenas das etnias yanomami e yekuana da Terra Indígena Yanomami, localizada no Amazonas e em Roraima, divulgaram uma carta às autoridades brasileiras em que denunciam o garimpo ilegal na área e risco de massacre dos povos. O texto, elaborado na semana passada em reunião com a presença de 116 lideranças, foi lido pela deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR) durante audiência pública na Câmara dos Deputados na terça, 26, informa o site G1.

Victor Moryama/ISA

“Os garimpeiros estão envenenando as pessoas e contaminando nossos rios, nossos peixes, nossos alimentos e espantando nossa caça. Sabemos que o mercúrio usado no garimpo está contaminando nosso povo (…) Essa é a mensagem de todos os Yanomami e Ye’kwana juntos para todo o planeta (…) As nossas riquezas são os nossos conhecimentos tradicionais, a nossa saúde, nossos rios limpos e nossas crianças crescendo felizes. Os garimpeiros estão destruindo a nossa riqueza (…) Nossos avós e tios morreram por causa dos garimpeiros. Nós não queremos repetir essa história de massacre”, diz o texto. Em outro trecho, as etnias falam da importância de participação dos indígenas nas deliberações do governo sobre a região.  São eles, os indígenas, que “decidem de forma coletiva, escutando vários pensamentos de homens, mulheres, xamãs, jovens, lideranças tradicionais, todos reunidos. E isso deve ser respeitado pelo governo brasileiro”.

A Terra Indígena Yanomami é a maior do país, com 10 milhões de hectares, 27 mil índios e entre 7 e 10 mil garimpeiros, segundo estimativa da Funai. De acordo com a Hutukara Associação Yanomami, reporta o GI, há 25 mil garimpeiros na área.

Tudo o que sabemos sobre:

yanomamiAmazonasRoraimagarimpo