Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Zema vai aguardar plano de vacina do governo federal

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

No dia em que o governador João Doria (PSDB-SP) anunciou a possibilidade de negociar 4 milhões de doses da vacina Coronavac com outros entes da Federação a partir de janeiro, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), postou em sua rede social ontem, 7, que qualquer definição sobre vacinação funcionará em consonância com as diretrizes do governo federal e do próprio governo estadual. Zema afirmou que o Estado está preparado para receber vacinas após adquirir 50 milhões de seringas e 700 refrigeradores.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema Foto: Werther Santana/Estadão

Nesta terça, 8, Zema acompanhou a videoconferência de governadores com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Diante a expectativa para março do início da campanha de vacinação pela gestão Bolsonaro, vários governadores têm cobrado uma coordenação nacional do processo de imunização da população brasileira, bem como defendido a compra do imunizante de mais de um fabricante para não ficarem nas mãos de apenas um.

A tranquilidade de Zema contrasta com o ânimo de seus homólogos. No Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) pediu para que o Supremo Tribunal Federal permita a aquisição de vacinas contra a covid-19 que tenham sido aprovadas por agências internacionais, sem a necessidade de aguardar parecer da Anvisa. Doria também planeja acionar o STF caso a autorização da Anvisa para a Coronavac não chegue a tempo de cumprir com a promessa de vacinar um primeiro grupo da população em 25 de janeiro.

Em entrevista ontem em Minas, Zema afirmou que há muito marketing em cima da vacina. Sem citar Doria, disse que tem Estado que diz que tem vacina, mas nem seringa adquiriu ainda.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Romeu ZemavacinaGoverno federal